Hidrogênio Comum

Os principais usos do hidrogênio estão na indústria química, como por exemplo na síntese de produtos químicos, produção de amônia e metanol, e na indústria alimentícia, como por exemplo na hidrogenação de óleos para fabricação de margarinas e hidrogenação de ácidos ou aldeídos para produção de álcoois. 

Mais detalhes

0107.1010
Novo produto
Entrega: 1 a 2 semanas
3xR$ 83,33 sem juros

Comparar

Cálculo do Frete

Aguardando CEP

Comprando este produto você pode ganhar até 12 pontos de fidelidade. Seu carrinho vai fornecer 12 pontos de fidelidade que podem ser convertidos em um cupom de R$ 1,20.


Novos produtos

Não há novos produtos

 
Mais informação

Hidrogênio - H2

O hidrogênio é um gás incolor, inodoro, insípido, altamente inflamável e não tóxico. O hidrogênio queima no ar formando uma chama azul pálida, quase invisivél. O hidrogênio é o mais leve dos gases conhecidos em função do seu baixo peso especifico com relação ao ar. Por esta razão, sua manipulação requer cuidados especiais para se evitar acidentes. O hidrogênio é, particularmente, sujeito a vazamento devido a sua baixa viscosidade e ao baixo peso molecular.

O hidrogênio é produzido industrialmente, por eletrólise da água ou reação de vapor de hidrocarbonetos. De todas, a mais comum é a reação do vapor de hidrocarbonetos.

O hidrogênio, nas condições de pressão e temperatura atmosféricas, se encontra na forma gasosa. Não tem cor, é inodoro, inflamável, não tóxico e pode ser encontrado na atmosfera em concentrações muito reduzidas, na ordem de 0.00005%.

Os principais usos do hidrogênio estão na indústria química, como por exemplo na síntese de produtos químicos, produção de amônia e metanol, e na indústria alimentícia, como por exemplo na hidrogenação de óleos para fabricação de margarinas e hidrogenação de ácidos ou aldeídos para produção de álcoois.

Nas indústrias petroquímica (reforma catalítica), de siderurgia e metalurgia (tratamento térmico de metais, brasagem) o hidrogênio também é muito utilizado. Em menor escala, o hidrogênio é utilizado para solda, e na forma líquida, como combustível para mísseis e foguetes.

Os processos mais utilizados atualmente para produção de hidrogênio são a eletrólise, a reforma a vapor de metano, e a purificação de subprodutos industriais ricos em hidrogênio, os quais descrevemos a seguir.

ELETRÓLISE

Na eletrólise de uma solução alcalina, utiliza-se energia elétrica para dissociar o hidrogênio do oxigênio dentro de uma célula eletrolítica. Esta célula é composta basicamente de um anodo (polo positivo), de um acatodo (polo negativo) e um meio separador. Assim, os íons H+ da água se concentram no lado do catodo, formando a molécula de H2. Por outro lado, as moléculas de O2 são formados no ariodo, o H2 gerado com pureza elevada (99.999% v), é então direcionado ao processo do cliente.

PURIFICAÇÃO DE SUBPRODUTOS

Várias indústrias, químicas e petroquímicas, geram correntes excedentes dos seus processos com altas concentrações de hidrogênio (40 a 80%). Muitas vezes estas correntes são queimadas, pela própria indústria, para aproveitamento de energia (geração de vapor) ou simplesmente num "flare". Porém, instalando-se um sistema de purificação tipo PSA ("Pressure Swing Adsortion") na saída destes gases excedentes, obtém-se hidrogênio com um alto grau de pureza (até 99.9999% v), pronto para comercialização. Este processo, por não necessitar da geração do hidrogênio, requer um investimento menor do que os outros, o que o torna bastante atrativo economicamente.

REFORMA A VAPOR DE METANO

A reforma a vapor de metano consiste da reação deste (geralmente gás natural) com a água (vapor), na presença de um catalisador, gerando um gás, comumente chamado de gás de síntese, composto basicamente de hidrogênio e monóxido de carbono. Este último, posteriormente também reage com a água para formar hidrogênio e dióxido de carbono. Após esta primeira etapa de reações, o gás de síntese é alimentado em um sistema para remoção do CO2. A corrente isenta de dióxido de carbono é então alimentada em uma PSA de hidrogênio para purificação, podendo alcançar purezas na ordem de 99.9999% v de hidrogênio. Após a purificação o produto é comprimido para ser enviado ao cliente.

Uso Industrial:

  • Hidrogenização de óleos;
  • Processos especiais de solda e corte (MIG, TIG, Plasma);
  • Laboratórios;
  • Fornos de sinterização;
  • Formação de atmosferas redutoras (industria de vidro);
  • Fornos de redução de certos metais (eliminação de oxigênio);
  • Fabricação de semi-condutores.

Segurança dos Cilindros:

  • Armazene os cilindros em local ventilado.
  • Não armazene juntos cilindro cheios e vazios.
  • Use luvas de segurança ao manusear os cilindros.
  • Não use adaptador nem chave para operar a válvula.
  • Não provoque aumento de pressão do cilindro por meio de calor ou chama.
  • Nunca manuseie cilindro de oxigênio com as mãos sujas de graxa ou óleo (risco de explosão).
  • Evite quedas e/ou choques com os cilindros.

"NÃO USE EM QUAISQUER TIPO DE BALÕES - PERIGO IMINENTE DE INCÊNDIO"

Segurança dos Cilindros:

  • Em áreas onde o hidrogênio está sendo usado e estocado é terminantemente proibido o fumo e uso de chamas.
  • Abra a válvula devagar e feche após o uso.
  • Armazene os cilindro em lugar ventilado.
  • Se houver vazamento em algum cilindro, separe-o dos demais e o coloque em lugar aberto e ventilado e longe de chamas.
  • Não abra a valvúla do cilindro rapidamente para limpá-la, antes de conectar o regulador, pois há risco de uma auto-ingnição do gás.

Risco do Gás

FOGO: Vazamento de alta pressão frequentemente inflamam espontaneamente produzindo uma chama muito quente e quase invisível, já que as misturas do ar-hidrogênio são explosivas numa faixa de 4,1 a 74,2% dependendo de pressão inicial, temperaturas e umidade. Amaneira mais eficaz de combater um incêndio por hidrogênio é desligar a fonte de hidrogênio; no caso do cilindro fechar a sua válvula. O equipamento que estiver ao seu redor deve ser resfriado com jatos de água e espuma durante o incêndio.

SAÚDE: Não é tóxico, mas está incluído entre os gases asfixiantes desde que substitua o oxigênio num ambiente fechado.

Lembre-se: Os cilindros são vasos de pressão bastante resistentes, por isso pesam bastante. Dentro dos cilindros existe uma alta pressão que, também, é um risco. O importante é sempre lembrar que todos os gases devem ser manuseados com a maior segurança, e a melhor proteção contra tais riscos é o conhecimento dos procedimentos corretos sobre manuseios de gases.

Caracteristicas Gerais:

  • Nome Comercial e Sinônimos: Hidrogênio Comprimido
  • Tipo de gás: Hidrogênio Comum
  • Simbolo químico: H2
  • Grupo Químico: Não aplicável
  • Número Atômico: 1
  • Pressão do Cilindro: 150 a 185 bar
  • Cor do cilindro: Amarelo
  • Pureza mínima: 99,995%
  • Número da ONU: 1049
  • Classe de Risco: Gás inflamável
 
Itens Fornecidos

Somente a recarga do produto.

7 outros produtos na mesma categoria:

Comparar 0

Não há produtos

A ser determinado Frete
R$ 0,00 Total

Comprar todos os produtos